A Tratore por aí:

Destaques

Claudya e Tiago Mineiro, Para Sempre Amanhecer
Independente (dist. Tratore)

Considerada uma das maiores cantoras do Brasil, Claudya convida o jovem pianista e compositor Tiago Mineiro em um duo piano e voz. O disco apresenta composições ricas em poesia e harmonia, levando o público a se emocionar com a interpretação e a voz única de Claudya e os arranjos criativos de Tiago, que também assina a direção musical do trabalho. O duo da consagrada cantora e o jovem pianista torna o disco um encontro de gerações, proporcionando ao ouvinte uma viagem a diferentes universos, mas sempre convergindo na chamada boa música.



Ivete, Wado
Independente (dist. Tratore)

Apaixonado pelos derivados da música brasileira, Wado mergulha de vez nas sonoridades do axé e ijexá em Ivete, seu nono álbum. O nome vem da perspectiva bem humorada do artista de que sempre fez música que nem a da Ivete, no sentido de características populares em seu som, que já trabalhou sonoridades como as do samba e do funk ao longo de seus quinze anos de carreira. Ivete é a musa a não ser alcançada, ela é norte, mas é ela quem canta o disco, explica Wado, ela é a musa intocada da empreitada.

Viola e Violão em Terras de São Sebastião, Marcia Taborda
Independente (dist. Tratore)

Nesta aula-espetáculo apresentamos uma visão muito própria da trajetória da viola e do violão na sociedade brasileira. Recuamos no tempo para localizar os antepassados das nossas violas e chegamos até os anos de 1950, abordando um percurso histórico que se deu em um cenário absolutamente privilegiado: os contornos da cidade do Rio de Janeiro. Estão presentes os grandes violonistas, e claro, a arte que produziram.




Top 20 dos últimos 60 dias Veja mais

Em breve Veja mais

   
 
Rádio Tratore
Agenda
23 de julho – 20:00
Jam session Big Ball Skateboarding A Última chamada
Jam Session com premiações para skaters e show de Trap gospel no centro cultural monteiro Lobato A partir das 10:00 hrs
Vídeos
Faça Valer, Vic Limberger, Faça Valer
Uma resenha
Mombojó, Nada de Novo L & C Editora
Taw escreveu: Um amigo meu me perguntou sobre o Mombojó e eu não consegui dizer o que era o som deles. "É samba ?" Não é, mas é. "É rock ?" Naõ é, mas é. "É lounge ? Não é, mas é. "É reggae, mpb, punk ?" Não é, mas é. O problema é que esse meu amigo é meio caretão, meio popzinho, meio "teleguiado" e isso o Mombojó, definitivamente, não é.
Um produto
Castigo Elétrico, Devolve a Minha Sorte Independente (dist. Tratore)
Ela pode ser definida como a banda de blues mais roqueira do mundo. E é assim que a banda Castigo Elétrico gosta de ser chamada. Formada em 2006, na cidade de São Paulo (Brasil), o grupo apresenta um trabalho de extrema qualidade, com muito humor, atitude e uma pegada bem blueseira. O som feito pelo pessoal do Castigo Elétrico é resultado de uma fusão bem sucedida entre músicos ecléticos. Roberto Terremoto (vocal e guitarra) e Alê Rossi (bateria), influenciados pela tradição de feeling e improviso do Blues, trouxeram estas características para a banda, e Fábio Levatti (guitarra) e Ricardo